Pandemia acelera mudança no mercado da comunicação em Mato Grosso

Economia

30/11/2020 às 07:59

Em 2020, a vida mudou e muitas dessas mudanças vieram para ficar. O trabalho remoto, a aceleração digital, as novas formas de consumo de produtos têm impactos de longo prazo na sociedade e nas empresas. Esse é um dos maiores desafios para as marcas e, consequentemente, para as suas agências de comunicação.

Quem atua com marketing, publicidade, propaganda e produção de conteúdo só tem certeza de uma coisa: o digital veio para ficar. Segundo o relatório Tendências e Previsões de Mídia 2021, da Kantar, a navegação na internet aumentou 64% durante a pandemia, o consumo de vídeo online cresceu 54% e o engajamento em mídia social ficou 56% maior.

Os consumidores, atesta o relatório da Kantar, usam cada vez mais as mídias sociais e fóruns para procurar marcas e produtos, e só efetivam as compras depois de ler avaliações e pegar a opinião das suas comunidades virtuais. 

Isso exige que as marcas tenham uma presença mais eficiente na mídia e consigam atuar de forma multicanal para que possam chegar até o consumidor ou público de interesse. E isso vale tanto para o varejo quanto para a comunicação institucional e governamental.

Para Raoni Ricci, secretário de comunicação do TCE-MT, “a visão de uma agência vai muito além da necessidade de vender um produto. Mostrar a atuação de um órgão público de maneira clara e objetiva é um grande desafio, mas com estratégia, planejamento e um relacionamento próximo com o cliente, o resultado é sempre positivo”, afirma.

Com mais de 30 anos de experiência no mercado e grandes clientes no currículo, a DMD Comunicação começou um processo de reestruturação no início do ano e mesmo com as adversidades da pandemia não abriu mão de executar seu planejamento estratégico para se reposicionar no mercado.

A diretora da agência, Adriana Guedes, explica que a reformulação da marca, reestruturação da equipe e dos espaços refletem o novo momento da agência. “Já vínhamos acompanhando as mudanças do mercado de comunicação e entendemos que para poder trazer resultados cada vez mais efetivos para os clientes, precisávamos começar quebrando nossas próprias barreiras e nos reinventar”, completa. 

Reinvenção é a palavra de ordem nas empresas, inclusive, as do segmento de comunicação, para que continuem relevantes para os clientes. “A publicidade e propaganda como conhecíamos nos últimos 20 anos não existe mais e as novidades no mercado vêm em velocidade exponencial. Isso exige agilidade na tomada de decisões para não perder as oportunidades”, destaca Adriana. 

Kelly Gusmão, da empresa de alimentos Zerou, não deixou que a pandemia adiasse o desejo de reposicionar a sua marca. “O suporte de uma agência que realmente pensa junto com o cliente foi fundamental para o reposicionamento da Zerou. Eu acredito que o rebranding planejado vai colocar a marca em uma posição de destaque nas gôndolas e na preferência do público”. 

As tendências apontam que as mídias sociais vão continuar crescendo e o vídeo online é a grande estrela da festa. Isso exige das empresas de comunicação um planejamento diferenciado para trazer retorno para o cliente. O mix continua valendo, mas é na inteligência estratégica que será possível fazer com que a mensagem, que precisa ser cada vez mais interessante, relevante e personalizada, chegue efetivamente ao público.

Fonte: Olhar Direto


Fotos da notícias

Veja mais

DEIXA UM COMENTÁRIO Clique aqui

Teu email não será publicado.

Enviar comentário