Três cidades de MT elegem prefeitos no domingo

Política

28/07/2021 às 13:20

No dia 1º de agosto, os eleitores dos municípios de Acorizal, Matupá, Torixoréu irão às urnas para eleger um novo prefeito e seu vice. A eleição suplementar será realizada porque os prefeitos dos três municípios tiveram o cargo cassado.

O marido dela, Odoni Mesquita, era prefeito da cidade entre 2013 e 2016.  Inês foi eleita em 2016 e, posteriormente, em 2020. O prefeito de Matupá (700 km de Cuiabá), Fernando Zafonatto, teve o mandato cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral após ser considerado inelegível para disputar a eleição, devido a uma condenação de improbidade administrativa por direcionamento de licitação.

CANDIDATOS

Em Acorizal, concorre a prefeito, o vereador Benna Lemes (DEM), e Maldo Sá (PP) como vice. Ele é irmão do prefeito cassado Meraldo Sá (PSD).Também é candidato a prefeito Diego Figueiredo Taques (PSD).

Em Matupá, concorre ao cargo o ex-vice prefeito Bruno Mena (DEM), e Celso Luiz Sorgatto (PSDB) como vice. Também está na disputa o delegado da Polícia Civil Geraldo Gezoni (PSB) e Fernando Bortolin (PP) para compor a chapa como vice. Outra candidata é Marinilde Dal'Acqua (MDB), que no último pleito foi candidata a vice-prefeita na chapa do Mano.

Em Torixóreu, o agrônomo Jonnes Saggin (PL) disputa o cargo. Ele tem Raimundo Ferreira da Silva (PSL) como vice. Outro candidato é o vereador Thiago Timo (PSB), que desde janeiro é prefeito interino do município. Seu vice é o vereador José Wilton (PSB).

O Tribunal Regional Eleitoral (TER-MT) realizará a auditoria da votação eletrônica (votação paralela). Esse procedimento, que visa maior transparência e confiabilidade no processo, é feito em todas as eleições gerais e municipais. No entanto, em Mato Grosso, é a primeira vez que será adotado em eleições suplementares municipais. Todo o processo será transmitido ao vivo pelo canal do TRE no Youtube.

Na sexta-feira (30), às 9 h, será sorteada duas urnas de cada município: Acorizal, Matupá e Torixoréu. No entanto, apenas uma urna de cada município será utilizada na votação paralela, as outras três urnas serão auditadas nas seções eleitorais para a verificação da autenticidade e integridade dos sistemas nelas instalados.

As urnas sorteadas para a votação paralela, que já se encontram no município e preparadas para a eleição, ou seja, foram objeto de carga de dados dos candidatos e lacre, serão recolhidas e encaminhadas ao TRE para serem auditadas. Desde o recolhimento até o término da Votação Paralela, as urnas são acompanhadas por um policial, em tempo integral. O objetivo é garantir que ninguém tenha acesso aos equipamentos.

No dia 1º de agosto, as três urnas serão utilizadas para votação. Servidores, que atuarão como eleitores, votam nos equipamentos no mesmo horário da votação oficial, que é das 7 às 17hs. Todo voto é filmado na integra com captação da tela da urna. Ao término da votação, os votos são totalizados, e é possível demonstrar que o resultado fornecido pela leitura do card da urna condiz exatamente com o que foi inserido pelos “eleitores”.

Além da transmissão ao vivo da votação paralela, são convidados a acompanhar in loco todas as fases do procedimento, representantes dos partidos políticos, das coligações, da Ordem dos Advogados do Brasil, do Ministério Público, imprensa e demais cidadãos interessados. Por conta da Pandemia, todos que se fizerem presente no evento devem usar máscara, promover a higienização das mãos e manter o distanciamento

Fonte: Folha Max


Fotos da notícias

Veja mais

DEIXA UM COMENTÁRIO Clique aqui

Teu email não será publicado.

Enviar comentário